Produtor de Final Fantasy XIV fala sobre manter compatibilidade com PS4

Decisão de manter o jogo no PS4 foi recebida com receio por alguns e comemorada por outros.


Em entrevista à revista japonesa Gamer, Naoki Yoshida, produtor executivo de Final Fantasy XIV, falou sobre a decisão de manter o MMORPG disponível no Playstation 4. O tópico foi assunto de discussões em diversos fóruns online, que discutem se o console da geração passada dará conta das recentemente reveladas atualizações gráficas do título.

Considerando o poderio do console anterior da Sony, inicialmente pode parecer que o título não exige tanto de um hardware poderoso como o PS4. Contudo, assim como ressaltado pelo próprio Yoshida, as coisas são diferentes quando um jogo precisa renderizar inúmeros jogadores em um mesmo ambiente.

Adicionalmente, aqueles que escolheram o console em questão como plataforma já vinham notando quedas pontuais de desempenho desde a penúltima expansão, Shadowbringers. Com a chegada do mais recente capítulo da saga, Endwalker, problemas similares tornaram-se ainda mais perceptíveis.

Dessa forma, Naoki Yoshida foi perguntado por quanto tempo a versão de Playstation 4 permaneceria jogável. De acordo com o produtor, ninguém sabe ao certo, mas o objetivo da equipe de desenvolvimento é que o título esteja disponível no maior número de plataformas possíveis, atingindo o máximo de jogadores.

Yoshi-P disse ainda que a razão de ter deixado claro aos espectadores que o jogo não sairia do PS4 foi o fato das vendas lentas de seu hardware sucessor, o PS5, estarem impedindo novos jogadores de comprarem o console.

Final Fantasy XIV está disponível para PC (via steam e site oficial), Playstation 4 e 5. O game conta com uma versão gratuita que inclui a primeira e premiada expansão, Heavensward. Para jogar o título completo é necessária uma assinatura mensal.

Compartilhe:

Qual foi a sua reação?

amei amei
0
amei
haha haha
0
haha
meh... meh...
0
meh...
eita! eita!
0
eita!
quê? quê?
0
quê?
Willyan

Paleógrafo, agente de imigração aérea e escritor. Completamente apaixonado por cultura asiática como um todo, especialmente japonesa e chinesa. Budista mais desequilibrado da face da terra que joga Splatoon 2 como se fosse uma final de copa do mundo e chora lendo mangás desconhecidos. Morre de amores por Persona, Splatoon, Love Plus e Pokémon.