O Fim de uma Saga | The Legend of Heroes: Trails of Cold Steel IV

O ciclo continua ∞


Um dos elementos mais importantes de um RPG é, sem sombra de dúvidas, a sua história. Uma boa narrativa mantém jogadores investidos no mundo do jogo além de incentivá-los a continuar com o título até seus créditos finais. The Legend of Heroes: Trails of Cold Steel IV é a parte final de uma saga que começou em 2013, mas será que após tantos anos, o desfecho foi satisfatório?

Com a chegada do último capítulo de Trails of Cold Steel IV no Nintendo Switch, decidimos que este seria o melhor momento para analisarmos a história do título e ver se ela faz jus a tudo o que a saga construiu ao longo de cinco anos. Procuramos manter este texto livre de grandes spoilers mas, se você prefere jogar sem qualquer conhecimento prévio sobre a trama, recomendamos zerar o jogo primeiro. Feito isso, retorne a este artigo e compartilhe sua opinião conosco nos comentários!

Trilhas do passado

Screenshot de The Legend of Heroes: Trails of Cold Steel IV

Com um trama longa, torna-se um desafio manter uma narrativa coesiva, com muitas outras franquias do gênero preferindo começar do zero com cada um de seus títulos tendo uma história completamente inédita. A série Trails, no entanto, divide suas histórias em sagas compostas por múltiplos jogos; todos ocorrendo em diferentes pontos da linha do tempo no mundo fictício.

Se passando na nação de Erebonia, ao oeste do continente Zemuria, a saga Cold Steel começou como uma história inédita com leves conexões a títulos anteriores. Eventualmente, com seu terceiro capítulo, esses elos com a série no geral começaram a se intensificar, permitindo que jogadores não familiares com as duas sagas iniciais se sentissem um tanto confusos sobre os acontecimentos da trama.

Infelizmente, essa dependência de conhecimento prévio de outras sagas não apenas perdura em Trails of Cold Steel IV,  como também chega a piorar. Para aqueles que vivenciaram os arcos narrativos que antecederam as aventuras de Rean e seus companheiros, a nostalgia é usada e abusada, algo que posa como um problema para quem nunca jogou esses títulos.

Screenshot de The Legend of Heroes: Trails of Cold Steel IV

Ademais, embora o quarto capítulo da saga do Império Ereboniano tenha conseguido colocar um final em vários pontos narrativos que começaram em 2013, alguns acabaram sendo deixados de lado. Como se essas pontas soltas não fossem o bastante, o título ainda faz questão de introduzir novos mistérios para o futuro da série.

Enquanto manter uma trama contínua através de múltiplos jogos possa parecer uma ideia no mínimo interessante, isso se torna um problema para fãs que não têm acesso a todos os títulos da franquia. Jogadores do Switch no ocidente, por exemplo, devem se contentar com o fato de que as cinco primeiras aventuras que compõem as duas sagas iniciais da série Trails não se encontram disponíveis para sua plataforma escolhida.

“Quem é essa gente toda aqui?”

Screenshot de The Legend of Heroes: Trails of Cold Steel IV

Seguindo imediatamente os eventos do jogo anterior, Trails of Cold Steel IV começa com um breve prólogo protagonizado pelos personagens principais dos arcos Liberl e Crossbell em uma missão de espionagem. O resto da história acompanha os integrantes de ambas a antiga e a nova “Classe VII” unindo forças para resgatar Rean, o herói da saga, das garras dos antagonistas da trama.

A julgar pelo parágrafo acima, não é tão claro para quem não conhece a série tão bem, mas os grupos de personagens mencionados são representados por mais de 30 figuras no total. Geralmente, RPGs japoneses trazem um número mais limitado de opções para a party do jogador, variando entre seis ou oito lutadores, às vezes até um pouco mais. Mas é claro, Cold Steel leva isso a um outro nível.

No primeiro jogo da saga, jogadores já tinham acesso a um número decente de personagens, podendo se aventurar ao lado de até 13 companheiros. Os dois jogos na sequência elevaram isso um pouco e, inevitavelmente, o título final decidiu encerrar o arco de Erebonia com um total de 39 figuras jogáveis, o triplo da quantidade original.

Screenshot de The Legend of Heroes: Trails of Cold Steel IV

Se quase 40 heróis parece muito, é porque ainda nem mencionamos as figuras não-jogáveis importantes para a trama que facilmente levam o número total de cabeças à casa dos três dígitos. Com uma quantidade tão grande de personagens, alguns acabam ficando um tanto avulsos em uma história que tenta utilizar todos de uma forma ou de outra, mas acaba não tendo tempo para se dedicar a cada um e os desperdiça.

Focando especialmente em Rean e seus companheiros da nova iteração da Classe VII, a história mantém personagens queridos por fãs dos dois primeiros capítulos da saga no status de coadjuvantes glorificados. Apesar da relação desenvolvida entre os membros da antiga versão do grupo e o protagonista, são os novos integrantes que tomam a decisão de salvar o herói de seu predicamento e devem convencer seus antecessores de fazer o mesmo.

Ainda assim, a história do jogo tem que dar um jeito de introduzir toda essa gente de forma natural e que faça sentido. Logo, grande parte da trama se dedica a uma mesma fórmula que se repete várias vezes: viajar até um lugar, descobrir os planos dos vilões e enfrentar um deles, voltar pra casa com novas informações e um novo personagem para a equipe. Seguro dizer que isso não demora para deixar de ser novidade.

Trilhas do futuro

Screenshot de The Legend of Heroes: Trails of Cold Steel IV

Agora, para falar um pouco sobre alguns detalhes da história e como Trails of Cold Steel IV abre as portas para o futuro da franquia, vamos precisar entrar em território de leves spoilers. Mas não se preocupe! Se não quiser ver isso, basta não clicar na imagem de aviso abaixo e continuar para o final do artigo tranquilamente, sem essas informações.

[SPOILERS ABAIXO]

Quando o primeiro jogo da saga Cold Steel foi lançado em 2013, a história da série Trails estava caminhando para o que parecia ser o seu desfecho. Os principais antagonistas tinham seus planos preparados, todos os personagens já estavam bem estabelecidos e o epílogo de Ao no Kiseki, até então o título mais recente da franquia, já dava pistas do que o futuro reservava.

De início, a saga seguiu bem o caminho trilhado pelos arcos de história anteriores, além de adicionar novos mistérios que não demoravam tanto para receber uma resposta. Contudo, nem todas as pontas soltas foram amarradas ao decorrer dos quatro jogos que seguiram e muitos delas surgiram apenas no final do quarto título, claramente com a intenção de dar uma razão para fãs retornarem mais uma vez para os próximos capítulos da série.

Uma das maiores indagações gira em torno do grupo Ouroboros, os manipuladores que desde o início da franquia agem pelas sombras, influenciado todos os acontecimentos da história para alcançar um objetivo final ainda desconhecido. Após Cold Steel III fazer parecer que a organização havia sido tapeada pelo vilão Osborne, o fim do quarto título serviu apenas para mostrar que, na verdade, tudo ainda está ocorrendo conforme os planos desses conspiradores.

[FIM DE SPOILERS]

Com as adições à trama geral da série, a impressão que fica é que Trails of Cold Steel IV não providencia realmente um final satisfatório. Ao invés disso, a mesma história continuará em títulos futuros onde o protagonista Rean e seus amigos não serão importantes.

Se você é um fã que acompanha estes jogos de perto desde Trails in the Sky FC, o título que deu origem a toda essa trama, é natural se sentir um tanto cansado. Afinal, após nove longos jogos (ou pelo menos sete no ocidente), o final verdadeiro ainda parece estar bem distante. O próximo capítulo, Hajimari no Kiseki, aguarda uma versão ocidental, enquanto o Japão se prepara para receber o início de uma nova saga com Kuro no Kiseki.

Enfim, The Legend of Heroes: Trails of Cold Steel IV encontra-se disponível mundialmente para PlayStation 4, Nintendo Switch e PC. Agradecemos imensamente à distribuidora NIS America por ter nos providenciado uma cópia do jogo para a produção desta análise especial. Compartilhe sua opinião sobre a história da saga nos comentários abaixo!

Compartilhe:

Qual foi a sua reação?

amei amei
5
amei
haha haha
0
haha
meh... meh...
0
meh...
eita! eita!
0
eita!
quê? quê?
0
quê?
Erick Figueiredo

Estudante de jornalismo, fã de café e dono do canal Carinha que Joga. É um fã incondicional de Sonic, tendo Sonic Adventure 2 como seu jogo favorito de toda a franquia. Gosta de quase todos os estilos de games, sendo principalmente um grande fã de JRPGs. Breath of Fire IV e Final Fantasy VIII são 2 de seus RPGs favoritos. Também curte a série MGS, Blazblue, Persona, Megaman e outras.
ESTAMOS AO VIVO AGORA!
OFFLINE~