HOME > Outros > #TGS2017: Daigo Umehara fala sobre Dragon Ball FighterZ e evolução em jogos de luta!

#TGS2017: Daigo Umehara fala sobre Dragon Ball FighterZ e evolução em jogos de luta!

Daigo Umehara, um dos jogadores de jogos de luta mais influentes no mundo, participou de uma demonstração do Dragon Ball FighterZ na Tokyo Game Show 2017. Ele enfrentou seu parceiro de longa data “Nuki”, um dos jogadores de Chun-Li mais famosos dentro e fora do Japão. A luta pode ser assistida no Youtube logo abaixo!

Após a luta, Daigo Umehara deu uma entrevista para a publicação japonesa 4Gamer, falando sobre o Dragon Ball FighterZ, seu canal de streaming e sua visão a respeito da evolução dos jogadores de jogos de luta. Confiram a entrevista traduzida!


Fonte original e imagens (4Gamer): [TGS 2017]格闘ゲームのレジェンドが「ドラゴンボールファイターズ」に参戦! プロ格闘ゲーマー“ウメハラ”にアレコレ聞いてきました

– Hoje foi a primeira vez que você jogou Dragon Ball FighterZ, certo? Parece que você gostou do Android 16, teve alguma razão especial para essa escolha?

Sobre o jogo, eu tive a oportunidade de jogar um pouco ontem. Dos personagens disponíveis no momento não havia um que me chamasse mais a atenção, então escolhi o Android 16 porque achei que poderia gostar de jogar com ele. Achei ele fácil de jogar e serviu perfeitamente para mim.

 

– E com a experiência de hoje, acha que o Android 16 ficou bem representado no jogo?

Bom, na série tem pouquíssimas cenas do Android 16 lutando (*risos*). Você está perguntando sobre a aparência dele, daquela aura dele de “sou forte”? Ele tem um corpo maior que a maioria dos personagens de Dragon Ball e achei que a movimentação dele ilustra bem essa característica dele.

 

– O que você espera do Dragon Ball FighterZ?

Os personagens e a série são muito populares. Por isso, se esse jogo for interessante, acho que ele vai aproveitar a popularidade da série e se tornar algo incrível. Espero que eles desenvolvam o jogo ouvindo as expectativas do público para que seja um sucesso.

 

– Está pensando em jogá-lo competitivamente?

Se o Dragon Ball FighterZ for um sucesso mundial como as primeiras impressões indicam, eu vou querer jogá-lo. Ou, como profissional, vou ter que jogá-lo. Acho que ele será um jogo que nenhum jogador vai poder ignorar.

 

– Pretende fazer um streaming de Dragon Ball FighterZ no seu canal “Daigo the BeasTV” do Twitch?

Certamente.

 

– Que tipo de conteúdo pretende mostrar?

Quando o jogo que vou exibir não tem novidades o streaming vira só uma jogatina comum, então eu fico pensando desde cedo o que seria melhor para exibir. Se não tivermos um plano, ele vira só um streaming qualquer e não conseguimos mostrar o que o jogo tem de interessante.

Por isso agora estamos misturando várias ideias no canal, mas como o streaming de Dragon Ball FighterZ deve ser logo após o lançamento imagino que apenas jogá-lo já será bem divertido para os espectadores.

– Na entrevista de ontem você disse que “No início, a parte de ganhar ou perder é meio complicada (para mim)”. Quando você pega um jogo de luta novo, qual o seu plano para evoluir?

Eu sei que meu plano é sempre meio enrolado (*risos*). No início sempre penso “nossa, todos estão evoluindo tão rápido”, mas depois de 1 ou 2 anos eu percebo que “ué? não estou mais perdendo”. Os jogadores e seus planos variam muito e isso cria várias ramificações diferentes.

Eu diria que não consigo fazer um plano balanceado. Quando me interesso por algum detalhe, eu acabo focando só naquilo. E para uma partida, mesmo sabendo que eu tenho que focar em várias coisas diferentes, acabo fazendo só aquilo que me interessa mais. Por isso, até meu plano funcionar de verdade acaba levando muito tempo.

Acredito que com Dragon Ball FighterZ também será assim. Tem a ver com a personalidade acho, se sempre estive fazendo dessa forma, não vai ser agora que vou conseguir mudar.

 

– Então entre o “gênio que consegue fazer qualquer coisa imediatamente” e o que “se esforça para aprender aos poucos”, você diria que faz parte do segundo tipo?

É meio diferente do padrão. Por exemplo, quando estou conversando com alguém, muitas vezes a pessoa chegam a uma conclusão muito rápido. A intuição delas dizem “Minha visão sobre isto está correta” e não se aprofundam em outras possibilidades. Não se preocupar demais é o ponto forte deles e em jogos de luta acho que isso faz eles evoluírem rapidamente.

No meu caso, eu acabo pensando sobre a mesma coisa de vários ângulos diferentes. Por exemplo, ao ver duas pessoas lutando, tem pessoas que conseguem decidir de imediato qual deles é o mais fraco. Acho que essas pessoas evoluem rapidamente nos jogos de luta. Para mim, mesmo que um pareça mais fraco eu fico pensando “mas será que se eu olhar desse jeito, na verdade o outro não seria mais fraco?” e não consigo chegar a uma conclusão. E isso acontece tanto dentro como fora dos jogos.

Por isso eu acho que os dois tipos de pessoas para mim são os que “já são fortes de início” e os que “viram o jogo mais tarde”.

 

– Você costuma assistir outros canais de streaming?

Dificilmente assisto. Claro que quando há algo como um torneio de Street Fighter V eu assisto para estudar o jogo, mas normalmente não costumo assistir.

 

– Mesmo que algum jogador rival esteja transmitindo as partidas dele, você não costuma assistí-los?

Eu assisto se eu souber que vou enfrentá-lo, mas normalmente quando esse jogador sabe que vamos nos enfrentar, ele não vai me mostrar o jogo dele também. Por isso, já que não vou poder ver o jogo dele, acabo não assistindo.

 

– Em uma entrevista mais antiga, você comentou que não esconde o seu jogo. Você ainda mantém esta ideia hoje em dia?

Eu não escondo o jogo, mas também não quero me colocar em desvantagem. Em streamings há muitos jogadores que escondem o jogo porque o mundo todo pode ver, mas mesmo em partidas offline também há jogadores que não gostam de mostrar o que tem. São os que pensam “não posso mostrar isso para alguém que pode ser meu rival depois”.

Mas ao esconder o jogo eles estão limitando o potencial do oponente e diminuindo o ritmo geral de evolução. Se um jogador desses chega ao topo de um jogo de luta, talvez ele se mantenha entre os tops por um pouco mais de tempo. Só que isso é relativo, porque na verdade são os jogadores ao redor dele que ainda não estão fortes e preparados o suficiente. Logo ele será alcançado e tudo que ele conseguiu foi ganhar um pouco de tempo.

 

– Isso parece um costume originado dos arcades. Seria semelhante a ir aos arcades jogar e depois compartilhar informações com todo mundo para poder evoluir?

Isso mesmo. Acho que os jogadores mais experientes que seguem esse costume são os mais capazes de vencer nos torneios grandes.

 

– Muito obrigado pela entrevista!


Sobre Daigo Umehara:

  • Coleciona títulos há mais de 20 anos em jogos de luta, principalmente em Street Fighter
  • Ficou conhecido mundialmente após o EVO Moment #37, virando uma luta contra Justin Wong com uma série de parries extremamente precisos
  • Considerado o primeiro progamer de sucesso em jogos de luta no Japão
  • Há mangás oficiais que contam sua carreira, como o Umehara – To live is to gameUmehara Fighting Gamers!
  • Entrou para o Guinness Book como o jogador mais bem sucedido em torneios de Street Fighter
  • Nos tempos de Vampire Hunter, chocou a comunidade jogando por 8 horas sem perder, com um total de 286 vitórias consecutivas. O número só não foi maior porque o gamecenter teve que fechar…

Sobre Dragon Ball FighterZ:

Dragon Ball FighterZ é um jogo de luta 3-contra-3 produzido pela Bandai Namco e Arc System Works e está previsto para o início de 2018 para PS4, XOne e PC! Haverá um um beta aberto em Janeiro/2018 também!

Compartilhe:
Avatar
Nikki
Aprendeu japonês de tanto jogar videogames e acabou tornando-se professor de japonês. Adora mangás, música e comida japonesa e precisa de doses diárias de chá, café e doces para sobreviver. Fã de jogos de luta, joga Guilty Gear competitivamente desde 2004. Suas séries favoritas são Atelier, Devil May Cry, Project Diva, Dark Souls e Killing Floor.