HOME > Outros > Square Enix está trabalhando em meios de redistribuir jogos antigos

Square Enix está trabalhando em meios de redistribuir jogos antigos

Logotipo da Square Enix

Em entrevista ao site Gameindustry, Yosuke Matsuda, presidente da Square Enix, falou sobre um possível serviço de assinatura de uma biblioteca com jogos antigos da desenvolvedora.

Com o auge de serviços como Netflix e Spotify, assinaturas de diversos tipos de mídia vêm se tornando cada vez mais parte do nosso dia a dia e a indústria de games aparenta seguir o mesmo caminho do áudio e vídeo convencionais. Eletronic Arts, Nintendo e Xbox já oferecem seus catálogos aos consumidores que se comprometem a pagar uma quantia fixa mensal e a Square Enix indica ser uma possível candidata para entrar no ramo.

Foto de Yosuke Matsuda, presidente da Square Enix
Yosuke Matsuda

Segundo Matsuda, pedidos para disponibilizar um serviço com a biblioteca de jogos antigos da empresa são algo frequentemente ouvido por eles e revelou que a Square Enix possui uma equipe dedicada exclusivamente para desenvolver novas versões de jogos clássicos e que pretendem lançá-los para diversas plataformas, tudo isso sem descartar a criação de um serviço dedicado para tais títulos.

Como todo novo projeto tem seus lados negativos, o presidente disse que a maior dificuldade em lançar um serviço como esse é o fato de alguns códigos de jogos antigos serem difíceis de se encontrar já que na época em que tais games foram lançados não havia preocupação das desenvolvedoras em preservar seus catálogos e citou um exemplo onde teve que pedir a um dos funcionários veteranos da Square que vasculhasse seu antigo computador em busca de material de um desses jogos.

Screenshot de Radiata Stories
Radiata Stories (2005), título da Square Enix que nunca foi relançado

Apesar de ter expressado o desejo de republicar seus jogos clássicos, a empresa ainda não se posicionou sobre que tipo de relançamento estamos falando, portanto um serviço de assinatura pode ser a aposta mais plausível mas ainda assim, algo não confirmado pela desenvolvedora.

Compartilhe:
Willyan Cavalcanti
Willyan Cavalcanti
Paleógrafo, agente de imigração aérea e escritor. Completamente apaixonado por cultura asiática como um todo, especialmente japonesa e chinesa. Budista mais desequilibrado da face da terra que joga Splatoon 2 como se fosse uma final de copa do mundo e chora lendo mangás desconhecidos. Morre de amores por Persona, Splatoon, Love Plus e Pokémon.