Qureate e seu novo jogo causam controvérsia com idols no Japão

Massage Freaks, ou Beat Refle, está dando o que falar por aí...


Há duas semanas, a desenvolvedora Qureate anunciou Massage Freaks, um novo jogo de ritmo para Nintendo Switch e PC. Tal como outros títulos do estúdio, o game é destinado ao público masculino, trazendo uma jogabilidade focada em personagens femininas em situações sexualmente sugestivas. Entretanto, parece que nem tudo está indo tão bem para o mais novo lançamento da empresa…

Apenas alguns dias após o anúncio do game, as coisas começaram a desandar. Em seu perfil oficial no Twitter, a Qureate anunciou que o lançamento para o atual console da Nintendo seria adiado indefinitivamente após discussões com “entidades preocupadas”. Mesmo assim, recentemente, o jogo deu as caras sem qualquer aviso prévio na plataforma Steam sobre um novo nome, Beat Refle.

Arte de Beat Refle

Então, o que aconteceu exatamente? Além disso, porquê será que Massage Freaks está causando tanta controvérsia principalmente entre usuários japoneses e teve não apenas o seu título, mas também os nomes de suas personagens principais, de repente alterados?

A premissa

Screenshot de Beat Refle

Pra começo de conversa, vamos entender a premissa do game. Nele, o jogador assume o papel de um massagista cujo a clientela é composta por jovens mulheres atraentes. O objetivo é ajudá-las a relaxar através de massagens e melhorar sua relação com elas, sendo possível até desenvolver um romance digno de encontros fora do trabalho.

Essa ideia é levada em prática na jogabilidade, que consiste em tocar o corpo das personagens de acordo com o ritmo da música. Ao decorrer dessas sequências, artigos de roupas são gradualmente retirados até as clientes atingirem o ápice do prazer — o chamado “Modo NTR”, ou “Nice! Totally Relaxed! Mode”.

O problema

Screenshot de Beat Refle

Em seu anúncio original, a Qureate também revelou as seis personagens femininas que compõem o elenco principal da trama — Mikuni, Shiho, Mei, Kyoko, Manamo e Mirei. Tudo parecia estar dentro dos padrões para jogos do gênero, mas esses nomes específicos acabaram dando o que falar.

Quase que de imediato após o anúncio, usuário na internet notaram algo peculiar. Acontece que os prenomes das personagens batem com o de seis integrantes do grupo de idols Hinatazaka46. Assim, ganha raiz a ideia de que talvez o estúdio tenha se baseado nas artistas em questão para criar figuras que, em jogo, seriam utilizadas para cenas sensuais sem o devido consentimento ou aprovação.

Screenshot de Beat Refle

A aparência das personagens até pode não ser claramente baseado nas idols, mas os nomes exatos torna difícil argumentar que a situação toda não passa de uma mera coincidência. De fato, a menção de “entidades preocupadas” no tweet da Qureate pode sugerir que o estúdio acabou trombando de frente não apenas com a Nintendo, mas também com a Sony Music, gravadora do Hinatazaka46.

Com o lançamento na Steam sobre o título Beat Refle, o jogo parece ter removido de vez esse problema em particular. Todas as personagens principais tiveram seus nomes alterados, desfazendo a bizarra conexão do game ao grupo idol. Entretanto, agora não há nenhuma menção ao Switch no site oficial, levando ao ar a dúvida sobre a sua versão para o console.

Screenshot de Beat Refle

Online, usuários expressam suas opiniões a respeito do jogo, levantando questões além do problema com as idols, como discriminação contra mulheres e exploração sexual. Em adição a esses tópicos, comuns em discussões sobre títulos do gênero, também há desconforto com a temática de casas de massagem, considerando casos recentes de crimes sexuais nesses estabelecimentos no Japão.

Enquanto muitos argumentam contra o game, outros se apresentam a seu favor, buscando defender a liberdade criativa dos desenvolvedores e criticando sua remoção da Nintendo eShop. Alguns desses usuários também acusam a plataforma de estar censurando jogos sensuais, apesar do fato do Switch abrigar vários títulos picantes, especialmente se comparado à rival PlayStation.

Enfim, Massage Freaks, agora conhecido como Beat Refle [esse “Refle” era pra ser “Reflex?”], está disponível mundialmente para PC (via Steam). Uma nova data de lançamento para Nintendo Switch ainda há de ser divulgada.

Compartilhe:

Qual foi a sua reação?

amei amei
0
amei
haha haha
0
haha
meh... meh...
0
meh...
eita! eita!
0
eita!
quê? quê?
0
quê?
Ângelo Minato

Aspirante a escritor e jornalista. Minato é um amante de jogos, cinema, seriados, histórias em quadrinhos, música e tudo relacionado ao Japão. É uma fábrica de ideias que está sempre produzindo cada vez mais, apesar de não colocar nem metade em prática. Seus jogos favoritos são Persona 3, Okami, Steambot Chronicles, Shin Megami Tensei: Nocturne, Portal 2 e a série Kingdom Hearts.